Você está aqui: Página Inicial > Campus > Ipojuca > Notícias > Campus tem acesso a resultados do monitoramento da qualidade do ar

Notícias

Campus tem acesso a resultados do monitoramento da qualidade do ar

Representantes da Refinaria Abreu e Lima e da JCTM, que monitora a qualidade do ar no entorno do empreendimento, participaram de encontro com os servidores
por publicado: 21/10/2016 14h07 última modificação: 21/10/2016 14h07

Na quinta-feira (20), o Campus Ipojuca do IFPE recebeu uma equipe das empresas que realizam o monitoramento do ar na região do Complexo Industrial e Portuário de Suape. O monitoramento  da qualidade do ar é feito pela empresa JCTM, contratada pela Refinaria Abreu e Lima (RNEST).

Na ocasião, servidores do Campus Ipojuca tiveram a oportunidade de conhecer os índices de concentração de poluentes registrados nas estações de monitoramento da região – todos dentro dos limites considerados aceitáveis – , e puderam tirar dúvidas sobre as medidas de segurança e meio-ambiente que vêm sendo adotadas pela Refinaria.

O sistema de monitoramento do ar mede a concentração de elementos como Ozônio (C), Monóxido de Carbono (CO), Dióxido de Enxofre (SO2) e Material Particulado, além de parâmetros meteorológicos. Em todo o período e para todos os parâmetros monitorados, a qualidade do ar foi considerada boa, bastante abaixo dos limites estabelecidos pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente. “Além do nível de emissões ser mais moderado que o de outras áreas industriais, a intensidade do vento na região ajuda a dispersar os poluentes”, avalia Eduardo Figueiredo, gerente técnico da JCTM.

A RNEST mantém quatro estações de monitoramento da qualidade do ar no entorno de Suape: na própria Refinaria, no Campus Ipojuca e em pontos dos bairros de Nossa Senhora do Ó (Ipojuca) e Gaibu (Cabo de Santo Agostinho). Uma quinta estação está sendo instalada na divisa entre os dois municípios.

“Além do monitoramento do ar, há um sistema rigoroso de controle das emissões dentro da Refinaria, que permite minimizar os riscos ambientais da operação”, disse Glauber Cavalcanti, engenheiro Ambiental da área de Saúde e Meio Ambiente da Refinaria Abreu e Lima. Os gases poluentes resultantes dos processos químicos na refinaria são tratados e convertidos em produtos não nocivos à saúde e ao meio ambiente.