Você está aqui: Página Inicial > Campus > Olinda > Notícias > Discursos em prol da arte marcam primeiro dia do CAOS

Notícias

Discursos em prol da arte marcam primeiro dia do CAOS

Evento prossegue nesta terça-feira (8) com palestras, oficinas e apresentações culturais. Inscrições gratuitas ainda podem ser realizadas
por publicado: 07/11/2017 20h31 última modificação: 08/11/2017 17h23

A segunda edição do CAOS - Semana Criativa do IFPE - Campus Olinda começou, nesta terça-feira (7), com discursos a favor da arte. A reitora do IFPE, Anália Ribeiro, destacou o potencial explosivo e transformador das manifestações artísticas e sua importância para o ambiente democrático. 

A reitora considerou os tempos atuais como difíceis e perigosos e classificou como retrocesso a situação pela qual a sociedade brasileira atravessa, envolta em repressão, intolerância e conservadorismo. Ela fez um discurso a favor dos espíritos livres. "Por que a arte é a primeira a ser atacada? Porque a arte só pode ser praticada e verdadeiramente usufruída por espíritos livres. Sem espíritos livres não há arte. Podem tirar nosso dinheiro, podem nos aprisionar, mas quem tem o espírito livre vai ter sempre um lugar para arte em seu coração como prática, usufruto ou fruição", sentenciou. 

A diretora-geral do Campus Olinda Luciana Padilha disse estar transbordando de felicidade por realizar mais uma edição do CAOS. "Para a gente CAOS não significa desordem, mas reorganização, criação de significados e discursos", disse. Ela agradeceu a todos que se empenharam na realização do evento e finalizou desejando que o CAOS se instale nos nossos corações e no coração de Olinda, fortalecendo o Campus como espaço da arte e da tecnologia.  

Também participou da mesa de abertura o secretário de Educação de Olinda, Paulo Roberto, representando o prefeito, professor Lupércio. Ele ressaltou a harmonia e energia positiva do Campus. A cerimônia foi realizada ao som da Banda Sinfônica do Centro de Educação Musical de Olinda (CEMO).

A primeira mesa do evento contou com a participação dos artistas Itamar Morgado e Daniel Santiago, do designer Vladimir Barros (Jornal do Commercio), da escritora Ana Lira e da professora Dani Bracchi (UFPE). Eles debateram o cenário da produção gráfica independente, da produção artística e do mercado editorial, entre outros assuntos. No período da tarde, houve oficinas de videoarte, introdução à modelagem 3D, pastel seco, fotomontagem, introdução à eletrogravura, grafite e doodle art. Performances dos artistas Suh Amorim e Ziel ocorreram durante as atividades.

PROGRAMAÇÃO - Nesta quarta(8), haverá oficina de modelo vivo, introdução ao photoshop, projeto criativo, eletrogravura, modelagem em argila, fotomontagem e desenho colaborativo. Também haverá uma mesa com o projeto “criatura urbanas”, com debate sobre a transexualidade nas artes realizado pelo jornalista e fotógrafo Chico Ludermir, autor do livro "A História Incompleta de Brenda e de Outras Mulheres"- que documenta vidas de onze mulheres trans e travestis; pela premiada artista baiana Virgínia de Medeiros, que desenvolve um trabalho documental e já passou por residências artísticas em países como Canadá, Estados Unidos e Timor-Leste; e pela estudante de pedagogia Maria Clara Araújo, transexual que trabalha a temática com enfoque na educação.

Haverá ainda uma roda de diálogo entre os artistas Renato Vale e Valdson Silva, além de debate sobre arte e tecnologia com os professores Sóstenes Lins e Paulo Cunha, ambos da UFPE. Entre as atrações culturais, ocorrerá o recital Clamor Negro e apresentação do grupo Capoeira Angola.  As inscrições ainda podem ser feitas, gratuitamente, pelo site http://caos.ifpe.edu.br .