Você está aqui: Página Inicial > Campus > Recife > Notícias > Campus conquista primeira medalha na OBQ

Notícias

Campus conquista primeira medalha na OBQ

Estudante de química se destaca em Olimpíada nacional
por publicado: 25/11/2019 09h07 última modificação: 27/11/2019 10h50

A estudante do Curso Técnico em Química Industrial Ana Letícia Pereira conquistou a medalha de bronze na Olimpíada Brasileira de Química (OBQ). A competição aconteceu no mês de agosto e a premiação será no dia 29 de novembro, na Universidade de São Paulo (Usp). É a primeira medalha do Campus na competição escolar da área mais importante do país. Ana Letícia conquistou a vaga para a OBQ após se classificar na fase regional da disputa, no mês de maio.

“É uma preparação demorada, mas que no final é gratificante ver o resultado. Esse foi o primeiro ano que participei da olimpíada, mas temos o privilégio de estudar numa instituição que serve de modelo para as outras escolas, com profissionais que nos dão todo o suporte para ir cada vez mais longe”, diz a estudante.

Apesar do pioneirismo em química, a discente já é destaque em olimpíadas de outras áreas de nível nacional e até mesmo internacional. Premiada em competições de astronomia, biologia, física, matemática e agora química, Ana Letícia, apesar da timidez, não esconde a felicidade na conquista do bronze da OBQ. “Sempre ficamos na expectativa de conquistar alguma medalha, mas fiquei muito feliz de ter recebido essa, pois agregará muito na minha formação”, comemora.

O professor de química e presidente da Comissão de Preparação para as Olimpíadas de Química (CPOQ) Robson Barros exalta o suporte do Campus e fala do bom resultado de Ana Letícia. “Através da CPOQ, todo esse empenho na preparação para essas competições coloca o Instituto no páreo com as melhores redes de ensino do país”, diz. Para o docente, o resultado não p surpreendeu, pois Ana Letícia é uma estudante quem tem um bom desempenho em todas as disciplinas. A medalha, explica, “aumenta o prestígio da instituição e demonstra a qualidade da nossa educação”.

Ana Letícia espera ver um maior número de discentes interessadas nessas competições e finaliza com planos para o futuro. “Quero fazer dessas conquistas, porta de entrada para outras estudantes do Instituto. Daqui pra frente, na minha formação, eu pretendo investir mais em olimpíadas ou qualquer outro meio que me dê a oportunidade de ir mais longe. Me sinto mais confiante em tentar algo novo”, diz.