Você está aqui: Página Inicial > Campus > Vitória > Notícias > Campus Vitória alerta sobre casos de catapora

Notícias

Campus Vitória alerta sobre casos de catapora

Estudantes que apresentarem sintomas não devem comparecer ao campus para evitar transmissão
por publicado: 30/09/2019 12h52 última modificação: 30/09/2019 12h53

Há cerca de duas semanas, foram confirmados casos de Varicela (Catapora) em nosso Campus. A catapora é uma infecção viral aguda, altamente contagiosa, caracterizada por manchas vermelhas e bolhas no corpo acompanhadas de prurido (coceira), sendo mais grave para adolescentes e adultos. 

Por isso, caso você apresente sintomas semelhantes ao da doença, procure imediatamente um médico e não compareça ao campus, para evitar o contágio de outros(as) pessoas. Em seguida, comunique ao CGAE ou ao Setor de Promoção da Saúde (Enfermaria) e, posteriormente, basta apresentar o atestado médico e as faltas serão abonadas. 

Os casos estão sendo notificados junto à Vigilância Epidemiológica.

Ressaltamos que as pessoas que tiverem contato com pessoas diagnosticadas com catapora devem procurar a unidade de saúde, com o cartão de vacina, para verificar a situação vacinal. 

Saiba como identificar a doença: 

Sintomas
Em geral, começam entre 10 e 21 dias após o contágio da doença, iniciando com febre baixa, dor de cabeça, falta de apetite e vômito, podendo durar de horas até 3 dias. Após esse período, aparecem as lesões (manchas vermelhas que evoluem para bolhas e terminam como crostas). 

Como é transmitida 
A transmissão se dá entre 1 a 2 dias antes do aparecimento das lesões de pele e até 6 dias depois, quando todas as lesões estiverem na fase de crostas. O modo de transmissão é pessoa a pessoa, por meio de contato direto ou de secreções respiratórias. Indiretamente, é transmitida por meio de objetos contaminados por pacientes infectados. 

Prevenção 
Restringir o adolescente ou adulto com catapora de locais públicos até que todas as lesões de pele estejam cicatrizadas; 
Higiene rigorosa de mãos e objetos que possam estar contaminados; 
Vacinação (o SUS disponibiliza a vacina para crianças até quatro anos de idade e grupos específicos, como indígenas, profissionais de saúde, imunodeprimidos); 
Geralmente a infecção confere imunidade permanente, ou seja, quem já teve varicela não contrai novamente. 

Referência: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Guia de Vigilância em Saúde : volume único [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. – 3ª. ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 2019.