Você está aqui: Página Inicial > Todas as notícias > Reitores são recebidos pelo Presidente da República

Notícias

Reitores são recebidos pelo Presidente da República

Chefe do Executivo, Luiz Inácio Lula da Silva reúne Reitores, Ministros e outras autoridades para tratar de assuntos relacionados à educação
por publicado: 19/01/2023 15h34 última modificação: 20/01/2023 09h30

Na manhã desta quinta-feira, 19, os/as Reitores/as dos Institutos e das Universidades Federais foram recebidos/as, no Palácio do Planalto, para reunião com o Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Além do Presidente, estiveram presentes os Ministros de Estado da Educação, Camilo Santana, da Casa Civil, Rui Costa, a Ministra da Ciência e Tecnologia, Luciana Santos, e o Secretário-Geral da Presidência, Márcio Macedo. Após longo período, foi a primeira vez que os Reitores foram recebidos pelo Chefe do Executivo.

Durante o encontro, foram tratados temas de interesse das instituições, como o investimento em obras, oferta de vagas, interiorização da educação e a formação das novas gerações. Além disso, a importância no investimento em educação básica, sobretudo no processo de alfabetização e nos primeiros anos do período escolar foram reafirmados.

O Presidente Lula, em sua fala, enfatizou a retomada do diálogo com os Reitores, seu compromisso com o respeito ao resultado dos processos eleitorais das instituições, e o papel da educação no desenvolvimento do país. Para ele, as instituições têm responsabilidade de atender à sociedade, perceber suas necessidades e ofertar formação nas diversas áreas. "É preciso que a gente tente aprimorar para que a gente combine a necessidade e o desejo da pessoa estudar com a necessidade do país e da sociedade têm das pessoas que precisamos qualificar, e para quê nós queremos qualificar". Lula falou também sobre o investimento em pesquisa e inovação como fundamental para o crescimento do país, e da importância da interiorização dos serviços públicos. "É preciso que a gente adote uma política de saber que, para a pessoa que mora distante, nós temos que levar os benefícios". "Nosso país não pode ser um eterno país em desenvolvimento", afirmou.

O Ministro da Educação, após apresentar sua equipe aos Reitores, enfatizou que o MEC estará disposto a receber os representantes das instituições. Ele citou desafios que pretende enfrentar, como a ampliação de vagas, o combate à evasão, a construção de um novo Plano Nacional de Educação e a criação de um Sistema Nacional de Educação. Santana disse, ainda, que os Institutos e Universidades Federais têm papel fundamental na formação de professores da educação básica. "Apenas um terço das nossas crianças aprendem a ler e escrever na idade certa. As Universidades e Institutos podem dar uma grande contribuição nesse processo de parceria e de união. Mais de 400 mil professores da educação básica não têm licenciatura ou não têm licenciatura voltada para aquela disciplina que ele está lecionando", completou.

Cláudio Alex, Presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (CONIF), relembrou a criação da Rede Federal, em 2008, e sua importância para a política de educação no Brasil. Ainda sobre a Rede, afirmou: "Essa já gigante Rede cumpre mais que um papel educacional, ela tem uma impactante
função social, pois possui como valores inerentes a inclusão e a diversidade". Cláudio também pontou o papel central de servidores e estudantes na superação das dificuldades orçamentárias enfrentadas nos últimos anos. "Nosso maior foco sempre foi garantir que todos os nossos estudantes pudessem ter acesso à Educação pública, gratuita e de qualidade".

O Reitor do IFPE, José Carlos de Sá, também esteve presente na reunião. Após se encontrar com outros Reitores da Região Nordeste e de Pernambuco, lembrou do papel fundamental da interlocução com o Governo Federal no desenvolvimento das políticas de educação e de cada instituição. "Quando você encontra as portas abertas no Poder Executivo, quando há disposição para o diálogo dentro do MEC - e não só para encontrar uma saída para uma situação crítica, mas para uma agenda propositiva - toda a sociedade sai ganhando". "Uma instituição como o IFPE, participativa, democrática e inclusiva desde o seu nascimento, enxerga em momentos como esse uma oportunidade para se desenvolver ainda mais e entregar à comunidade um serviço cada vez melhor".

 

*Crédito das imagens: Ricardo Stuckert e TV Brasil